Publicada em: 07/07/2016 - 08:46, por Revista ESPAÇODESIGN

A A A

Cinema: Maverick, caçada no Brasil.

O longa metragem que foi filmado em Passo Fundo, através do olhar do ator, roteirista e diretor EMILIANO RUSCHEL, que em entrevista exclusiva fala sobre sua terra, cinema e arquitetura. 

Seja pela possibilidade de retratar um espaço sob diferentes ângulos ou por poder mostrar a vida em movimento dentro dos ambientes, o cinema é uma linguagem que tem uma relação especial com a arquitetura. As duas formas de arte vivem em contato constante através de documentários ou em ficções que usam os espaços construídos como cenários e aproximas as fronteiras do mundo.

No mês de agosto deste ano, a cidade de Passo Fundo foi palco para alocações de filmagens para o longa metragem MAVERICK: Caçada no Brasil, roteiro, direção e atuação de Emiliano Ruschel, natural de Lagoa Vermelha, RS. Segundo Emiliano, o objetivo em filmar em Passo Fundo é de "mostrar um Brasil diferente ao que se conhece lá fora".

As filmagens foram realizadas em inglês para possibilitar maior visibilidade internacional. Sua produção iniciou um ano e meio antes, através de um estudo fotográfico das locações que, posteriormente, foram inseridas em um

roteiro elaborado por Emiliano e Trinidad Giachino, roteirista da argentina.

Mais de 100 profissionais foram envolvidos na produção do filme de ação e suspense com previsão de lançamento em 2016. Larissa Vereza, Pietra Gasperin, Carla Elgert, Michelle Birkheuer, Massayuki Yamamotto, Cesar Scortega- gna, Alessandra Pires, Carlos Takeshi e Márcio Kieling, são alguns atores que compõem a trama policial. Produção Executiva de Iussen Seelig e Felipe Lemos. Direção de arte de Carlos Teston e Leonardo Gobbi. Cebelo, Regison Fabiano, maquiagem de Elenir da Silva e Jeferson Oliveira. O Curso de Design de Moda na UPF colaborou com a composição dos figurinos e quem assina a direção de figurino é Cida Israel. O grande protagonista, o carro Maverick lançado no Brasil na década de 70, foi cedido pelo Museu Automobilístico Brasileiro, através d o sr. Paulo Trevisan.

O Prix Hotel, Avenida Brasil, Catedral Metropolitana, UPF, Sétimo Céu, Aeroclube, Capingui, Moinho

Lounge Club, Estação Ferroviária, Praça da Cuia e a Chácara Calafat, foram os locais escolhidos para as filmagens em Passo Fundo. Na região, em Vila Maria, o palco foi a Cascata de Maringá.

Emiliano Ruschel teve o primeiro contato com a televisão através de comerciais, já aos 5 anos de idade. Estudou Artes Cênicas no Rio de Janeiro, RJ, e continuou conquistando espaço no teatro e em novelas. Já participou de outros fi Imes, novelas e séries de televisão. Há 2 anos mora em Los Angeles, nos EUA, e recentemente ganhou o prêmio de melhor ator no Los Angeles Brazilian Film Festival, em Holywood, um importante festival de cinema.

A ESPAÇODESIGN entrou em contato com o ator, roteirista e diretor Emiliano Ruschel, direto de Los Angeles, nos EUA, que gentilmente nos concedeu todas as informações para a produção desta matéria e também uma entrevista exclusiva nos fala sobre sua terra, cinema e arquitetura. Confira. 

ESPAÇODESIGN: A carreira de ator é um longo caminho a ser percorrido, requer muita dedicação e esforço pessoal, como você descreve o início de sua carreira profissional? 

Emiliano Ruschel - Difícil falar do início porque comecei muito jovem, ainda criança na verdade. Eu tinha apenas 5 anos de idade quando fui convidado a fazer os meus primeiros comerciais e não parei mais. Foi paixão mesmo pelo oficio! E depois já adulto não consegui mais parar. São muitos sacrifícios e renuncias para você alcançar seus objetivos. Quanto mais alto o nível, maior são os sacrifícios. E não existe um ponto final, uma linha de chegada. É a trajetória que é importante. Pois você tem que estar sempre se aprimorando e elevando a qualidade do seu trabalho. Buscar a sua voz criativa. Sua marca. Evoluir constantemente. No cinema principalmente estar evoluindo junto com a tecnologia. E os meios de comunicação.

ESPAÇODESIGN: A responsabilidade como diretor deve ser intensa. Que características e aspectos são importantes para se chegar nesta etapa, quais as responsabilidades envolvidas?

Emiliano Ruschel - Um dos caminhos é a universidade. O outro como diz o Quentin Tarantino, é: "Venda seu carro e faça um filme." (risos) Eu aprendi fazendo como ator primeiro, depois comecei a trabalhar como produtor, depois comecei a escrever e aí comecei a dirigir. Já produzo e dirijo TV e cinema desde 2005 mais já tinha experiência em produção e edição desde 2000. Os irmãos Cohen, por exemplo, fazem o processo todo também até editam os próprios filmes. O Clint Eastwood, além de escrever, atuar, produzir e dirigir já compôs a trilha sonora para alguns de seus filmes. Me identifico muito com esse tipo de trabalho pois você cria o filme primeiro na sua imaginação e depois com a colaboração de outros talentos você vai dando forma e trazendo para realidade. Como diretor você é responsável por todos os aspectos do filme, por isso, quanto mais pessoas talentosas trabalhando com você melhor. Acredito que os melhores diretores são os que conseguem escutar e capturar o melhor de todos e ainda assim convergir tudo dentro da sua visão e seguir em frente. Cumprindo prazos e cronogramas. Nas filmagens, tivemos dias que trabalhamos 18 horas para cumprir o dia de filmagem. Um dia até praticamente fechamos 24 horas direto para seguir nosso cronograma. E tudo com alto astral e muita satisfação. Mais só foi possível porque todos os envolvidos amavam o que estavam fazendo. Deixo aqui meu muito obrigado a toda equipe e a todos os parceiros do filme!

ESPAÇODESIGN: Como foi para você voltar na região das suas origens?

Emiliano Ruschel -Foi e sempre é muito bom. Todo o ano eu venho pra cidade para ficar com a minha famflia e rever meus amigos. Mais era sempre muito rápido, duas ou 3 semanas no máximo. Essa ultima visita Levou 2 meses e meio para poder fazer o filme! Foi muito gratificante! E aproveitei para tirar o atrasado. (risos).

ESPAÇODESIGN: Qual o principal objetivo em realizar as filmagens em Passo Fundo?

Emiliano Ruschel - Saudades! Estou morando fora de Passo Fundo há 12 anos, e sempre vinha muito rapidamente. Fiz a mudança da minha Produtora de Cinema para cidade e pretendo produzir todo ano pelo menos um filme na região. Quero ficar mais perto da família e dos amigos! O tempo passa muito rápido!  

ESPAÇODESIGN: Como é o processo fotográfico. inicial. referente às locações de filmagens?

Emiliano Ruschel - Eu já conhecia praticamente todas as locações da cidade e região, claro que nesses 12 anos as cosias foram mudando para melhor. Dentre elas o surgimento do Prix Hotel, que é um hotel de padrão internacional. Luxuoso e com um estilo clean que se encaixava perfeitamente com a proposta do filme. O Ricardo Rheingantz, diretor de fotografia veio um mês antes das filmagens começarem para fazermos um plano de iluminação e ele ficou impressionado com o Prix Hotel e com as locações que a cidade dispunha para realizarmos as filmagens.

ESPAÇODESIGN: Poderia descrever, na sua visão como ator e diretor, sobre a relação entre cinema e arquitetura?

Emiliano Ruschel- É uma relação muito próxima. Mais do que se pode imaginar. Nos quais a cenografia possui um papel fundamental dentro da trama. O espaço arquitetônico é muito mais que mera cenografia, pois permite a ligação entre tempo, espaço e homem.

O espaço cenográfico ajuda a transmitir a emoção do personagem, a tela é uma imagem dimensional por onde o espectador recebe a mensagem. Um ambiente com dimensões pequenas ajuda a transmitir a loucura do personagem. Ou um ambiente muito grande com pouco mobília transmite a solidão. Ou mesmo a criação de cenários futurísticos. A relação entre arquitetura é recorrente no cinema, na na literatura, nas diferentes épocas históricas da humanidade.

As linhas arquitetônicas dentro da narrativa são uma forte ferramenta para ajudar a contar a história. Pois as linhas alteram a intensidade da imagem. Conseqüentemente, alteram a intensi- dade das cenas. No filme Maverick: Caçada no Brasil, eu escolhi trabalhar com as linhas diagonais para com o personagem J. Maverick, as linhas horizontais com os vilões do filme e as horizontais com as vitimas. As linhas, as cores, as texturas... Tudo faz parte da narrativa visual, o figurino, a iluminação, a maquiagem... Por isso mesmo chama-se sétima arte, pois é essa união entre elas que cria a magia do cinema.

ESPAÇODESIGN: Já tens uma data prevista para o lançamento do longa MAVERICK, aqui no Brasil?

Emiliano Ruschel -Ainda não temos data, pois estamos na pós-produção do filme e dependemos ainda de fatores criativos como música e outros para aí sim estabelecermos uma data de estréia. Mais espero conseguir realizar a estréia até o segundo trimestre de 2016.

ESPAÇODESIGN: Que mensagem gostaria de deixar para os jovens iniciantes na carreira de ator?

Emiliano Ruschel- Tem uma frase que diz "Escolha um trabalho que você ame e não terá de trabalhar um único dia de sua vida" autor, Confúcio. Então, siga seus sonhos. Costuma-se dizer que não existe sorte, mais sim oportunidade compreparação. Então, é muito estudo, leitura, cursos, aprender idiomas, música, dança, esporte, história... Quanto mais cultura um artista tem, mais preparado eles esta para poder criar no seu campo de especialização.

ESPAÇODESIGN: Que mensagem gostaria de deixar para os leitores regionais da revista ESPAÇODESIGN?

Emiliano Ruschel - Acredito que quando falamos de arte, design e cultura nós nos elevamos filosoficamente e espiritual- mente, pois buscamos um novo olhar para o cotidiano, refletimos e isso eleva uma sociedade. Quando voltamos nosso foco para as coisas positivas e criativas caminhamos em direção da evolução.  

Imagens Relacionadas

Clique nas imagens para ampliá-las.

Aqui, empresas e projetos ganham espaço

© 2017 Revista ED. Todos os direitos reservados - Parceria Sistemas.

Ou entre em contato pelo telefone: (54) 3045-6520