Publicada em: 22/03/2013 - 09:00, por Silvania A. Baruffi Vicentini

A A A

Estimule a felicidade e o bem-estar

Viver em harmonia é uma busca de todos. Mais do que cultivar plantas, o paisagismo contribui para que o convívio social seja agradável, além de purificar o ambiente dos poluentes químicos do ar e ajudar na educação ambiental.

Paisagismo valoriza o imóvel e proporciona bem estar 

Nunca a natureza e os ambientes construídos estiveram tão próximos e por sinal, tão valorizados. Buscar um espaço que não apenas tenha muito verde, mas que esteja devidamente projetado para a residência, é uma tendência vista não apenas por aqueles que vivem em casas. É assim que podemos observar a relação entre as residências e o paisagismo, técnica que é minuciosamente planejada por profissionais especializados que da um ar de graciosidade aos ambientes, relaxamento e principalmente valorização do imóvel.

A valorização está diretamente ligada ao bem estar que as plantas proporcionam ao morador. Os jardins melhoram a condição do ar seco e poluído, absorvem excesso de chuva e regulam as variações de temperatura. Além disso, o uso dos espaços externos está ligado às atividades de lazer e relaxamento, proporcionado melhor qualidade de vida.

Idealizando espaços externos

Ter conhecimento da localização é o primeiro passo para realizar o projeto de paisagismo nos ambientes externos. Conhecendo onde será implantado o jardim, temos as condições climáticas do local, como: insolação, frequência, quantidade de chuvas, ventos e tipologia de solo.
Além desses fatores naturais, é preciso definir os usos que esses ambientes externos terão. As atividades definem a densidade de vegetação, os acabamentos de piso, os móveis e acessórios. Um jardim para contemplação não necessita de caminhos e pode ser mais cheio, enquanto um quintal gramado é mais amplo e adequado para crianças brincarem.

Local e planta adequados

O jardim só se manterá belo se a planta viver em sua plenitude. Por isso não indicamos usar uma planta específica num local não apropriado. 

“É preciso respeitar a morfologia e sistemática vegetal de cada espécie. Não se deve esquecer também que o jardim evolui ao passar do tempo, e é preciso ter atenção especial às árvores e palmeiras que crescerão muito, observar se elas terão as condições necessárias a longo prazo, para não continuarmos vendo danos e acidentes com árvores em fiações elétricas e que danificam muros, pisos e calçadas”, afirma Silvania. 

A tendência no paisagismo não é um estilo a ser seguido, mas um conceito. A integração das áreas externas e internas faz com que as pessoas busquem resgatar a sensação do bem estar que as atividades ao ar livre proporcionam.

Imagens Relacionadas

Clique nas imagens para ampliá-las.

Aqui, empresas e projetos ganham espaço

© 2018 Revista ED. Todos os direitos reservados - Parceria Sistemas.

Ou entre em contato pelo telefone: (54) 3045-6520